Posts recentes

Arquivo

Tags

posts relacionados

HORDÉOLO DE REPETIÇÃO – o que é e como tratar

Já ouviu falar em hordéolo, terçol ou bonitinho? São nomes diferentes para o mesmo tipo de lesão aguda. Em sua fase crônica é chamada de calázio. O que fazer quando a lesão se torna recorrente ou de repetição?


Nossas pálpebras têm muitas glândulas produtoras de componentes da lágrima. Elas secretam continuamente, de forma imperceptível. Nós não conseguimos enxergar, mas a secreção é produzida e secretada para a cavidade conjuntival, com objetivo de lubrificar e proteger a superfície ocular.

Os canais ou ductos das glândulas palpebrais desembocam na borda palpebral, próximo à raiz dos cílios. Quando a saída desses ductos se torna obstruída, a glândula continua produzindo a secreção, que fica, portanto, represada dentro dela. A secreção represada causa o aparecimento de nódulos, visíveis na pele da pálpebra. O acúmulo de secreção dentro das glândulas predispõe à inflamação e infecção.

O quadro agudo do hordéolo ou terçol pode ser bastante sintomático. Causa dor e incômodo, e seu aspecto chama nossa atenção.


Como é feito o tratamento do terçol?

Na fase aguda, seu tratamento é feito por meio de compressas mornas e pomada oftálmica composta de antibiótico e anti-inflamatório. Este medicamento deve ser prescrito por oftalmologista.


O que causa o hordéolo?

Como vimos acima, a lesão é causada pelo acúmulo de secreção dentro das glândulas palpebrais, devido à obstrução do seu ducto ou canal. Essa obstrução acontece por vários fatores:

· Oleosidade da pele

· Sujeira, poluição, poeira

· Inflamação das pálpebras, também chamada de blefarite


É possível prevenir o aparecimento do hordéolo?

Sim. Se tratarmos as condições (como as citadas acima) predisponentes, podemos evitar o aparecimento ou recorrência das lesões.


O que fazer quando temos hordéolos de repetição?

Hordéolo de repetição ou hordéolo recorrente está geralmente relacionado a uma inflamação crônica das bordas das pálpebras, chamada de blefarite. Sendo assim, podemos evitar a recorrência se tratarmos a blefarite.

O tratamento da blefarite é feito por meio de:

· compressas mornas

· limpeza das bordas palpebrais com xampu infantil neutro

· higienização das pálpebras com produtos próprios oftalmológicos em forma de gel (apresentações comerciais: Blephagel, Systane lidwipes, FrexClean, Primorgel)

· antibiótico e/ou anti-inflamatório tópico em forma de pomadas, pois estas penetram melhor na pele do que o colírio

· antibiótico sistêmico (existem esquemas variados para este tratamento; o mesmo depende da idade do paciente ou dos tratamentos já realizados anteriormente)

· anti-inflamatório via oral, em casos mais graves.


Consulte seu oftalmologista. Principalmente em casos de crianças, procure a orientação do oftalmopediatra, pois o tratamento deve ser adaptado à idade do paciente.


Saiba mais sobre este e outros assuntos em nosso Instagram: @bem.te.ver. Veja também aqui ou aqui.